Meu paizão e eu no hotel

Autor: Mrpr2
 
Ola Meu apelido e Dinho 19a. o que vou contar aconteceu quando fui passar um fim de semana em um hotel com minha família. Chegamos no hotel e meu pai combinou que deveríamos nos reunir para o almoço as 13hs no restaurante do hotel pois sabia que iriam todos se separar, minha mãe logo pos seu biquíni e foi para o sol bronzear, minha irmã se arrumou e sumiu atrás dos "gatinhos", meu pai e eu ficamos juntos, pois sempre fomos muito apegados ele é um cara muito divertido, engraçado, bonito tem um corpo em cima para sua idade de 40 anos sem barriga não é trincada mas e sequinha, peito com pelos lisinhos, pele clara, cabelo curto um pouquinho grisalho, um bom volume entre as pernas. Eu sou magro, pele clara sem pelos, não por raspar naturalmente pouquíssimos nas axilas e no púbis.
    Ficamos na piscina estava muito bom todas de águas termais, quentinha a água, fomos no tobogã de frente de costas, fomos em uma rampa inclinada descia muito rápido, meu pai me chamou para descermos juntos sentei entre suas pernas e senti seu volume em minha bundinha fiquei meio excitado, mas me controlei afinal estava só de sunga, meu coração quase explodiu alem da adrenalina do brinquedo meu pai encostando seu pau em minha bundinha e sentindo seus pelos em minhas costas, foi tão bom que repetimos e percebi que na segunda vez o pau do meu pai estava mais duro, depois disso ficamos um tempo conversando no bar dentro da piscina eu tomando um suco e meu pai caipirinha. Como já estava na hora do almoço fomos e almoçamos e novamente depois de um breve descanso nossa família dispersou pelo hotel.
    Meu pai e eu ficamos novamente juntos e nadamos, demos cambalhotas na água, plantamos bananeira, meu pai parecia criança, brincamos de lutinha na água e me excitava a cada vez que meu pai encostava seu corpo no meu. Meu pai me chamou para irmos na sauna chegando la tinha apenas um homem em meio a fumaça e quando me acostumei com o ambiente percebi que ele estava pelado tinha um corpo legal também peludo, bem sacudo, nos perguntou se nos importava dele continuar nu dissemos que não e ele voltou a deitar meu pai e eu ficamos sentados e curtindo a sauna, meu pau que já estava um pouco duro ficou ainda mais com a visão daquele homem nu. Depois de algum tempo ele saiu ficando apenas meu pai e eu na sauna, resolvi deitar meu pai me chamou para que eu deitasse a cabeça sobre sua perna o que aceitei. Papai passava a mão sobre seu corpo e começou a passar sobre o meu.
_ Esta gostando filhão do passeio?
_ Sim esta muito divertido pai.
_ Já tinha tempo que não ficávamos tanto tempo juntos ne filho, como você cresceu.
 Falou meu pai alisando meu peito descendo a mão pela minha barriga chegando a encostar em minha sunga e subindo a mão.
_ Já mesmo pai precisamos ficar mais tempo juntos, gosto muito da companhia do senhor mas o senhor trabalha muito.
_ É preciso dar mais atenção ao meu garoto! Olha parece que quer ficar como o cara que saiu seu pau esta quase rasgando a sunga.
Disse sorrindo meu pai.
_ Que isso pai, deve ser o calor.
_ Se quiser pode tirar, quer que eu tire para você?
Não respondi e meu pai foi tirando minha sunga.
_ Olha como meu filhão esta crescido, que pau bonito filho puxou ao papai.
Falou meu pai segurando em meu pai, apenas suspirei fundo sentindo seu toque em meu cacete.
_ Pai...
_ Relaxa filho é só uma massagem, a não ser que não queira.
_ Tudo bem papai pode fazer.
Respondi com a voz tremula
   Meu pai se virou no banco e eu fiquei deitado em meio a suas pernas sentindo seu pau duro em minha nuca e meu pai alisando todo meu corpo que cuminou em uma punheta gostosa auxiliada pelo protetor solar, suor e pelo calor da sauna. Meu pai abaixou o rosto me dando um beijo ao contrario carinhoso mas intenso massageando meu peito todo gozado levantei do seu colo e meu pai abaixou a sunga e comecei a chupar gostoso o pau do meu pai que suadinho estava salgadinho uma delicia. Enquanto eu o chupava ele massageava minha bunda e aos poucos foi enfiando seus dedos em meu buraquinho virgem. Ai que delicia lembrei dos nossos banhos juntos na infância, de quando sua mão ensaboava minha bundinha, a possibilidade de entrar alguém me deixava ainda mais excitado. Meu pai gozou em minha boca me trouxe ao encontro de sua boca e nos beijamos novamente com minha boca com gosto de sua porra.
    Papai falou ao meu ouvido: _ quer continuar lá no quarto filhão aqui esta perigoso.
_Sim vamos logo
    Meu pai e eu vestimos nossas sungas tentamos disfarçar nossos paus duros colocando eles de lado e segurando a toalha na frente. Fomos direto para o quarto e assim que tranquei a porta meu pai me segurou por trás e foi me levando para o chuveiro beijando minha nuca e minhas costas, ensaboou todo meu corpo para tirar o suor e o protetor solar, me fez encostar na parede e abrir bem as pernas e veio lavar meu cu, instintivamente empinei deixando meu rabinho mais a mostra para facilitar os dedos de meu pai que me invadiam. Papai se abaixou e começou a me lamber, lábia muito seu cu enquanto eu gemia, lambeu meu saco e colocou todo ele na boca que delicia, mas o melhor foi ele me virar de frente e me chupar nossa como chupava gostoso meu pai, mamou meu cacete ate eu esporrar em sua boca estremecendo todo meu corpo me deixando de pernas bambas, mas encontrei forças para continuar de pe e ensaboar meu papai gostoso.
  Fiz como meu pai, ensaboei e o chupei mas ele não gozou pediu para eu parar e fomos para a cama nos enxugamos meu pai pegou um lubrificante me posicionou de quatro sobre a cama abriu ainda mais meu cu que já piscava pedindo rola e foi enfiando ate que senti sue saco peludo roçar em minha bunda, me deixando mais excitado. Papai começou um vai e vem delicioso apertando ao mesmo tempo meus mamilos e foi aumentando a velocidade. Que delicia,  que gostoso, meu pau babava enquanto meu pai enfiava seu cacete em meu rabo, me colocou de frente me beijou e voltou a bombar agora começou uma punheta que cuminou em um gozo duplo eu em meu peito e papai em meu cu. Deitamos e descansamos um pouco exaustos suados eu deitado em cima do peito de papai dormimos.
   Acordei com meu pau duraço, um calor por dentro e perguntei para papai se eu podia come- lo ele aceitou e ficou de quatro eu o lubrifiquei e abri aquele cuzinho peludo lindo que piscava implorando minha rola dura que foi engolida por aquele cu guloso, apertadinho e quente bombei bastante ate gozar la no fundo inundando meu paizão de porra nos beijamos e descemos.
  Na saída do quarto com sorrisos de orelha a orelha encontramos peladão da sauna ele estava hospedado no quarto ao lado descemos juntos conversando e fomos para a piscina.
   O que rolou entre nos três prometo que contarei no próximo conto aguardem. Uma chupada deliciosa no pau de vocês ficaram excitados?
mrpr2@hotmail.com

Eu, papai e Diogo - o peladão da sauna

Autor: Mrpr2
 
Ola novamente pessoal, como prometido estou de volta para contar o que aconteceu entre eu meu pai e Diogo.
 
 Na saída do quarto com sorrisos de orelha a orelha encontramos o peladão da sauna, que se apresentou como Diogo, ele estava hospedado no quarto ao lado descemos juntos conversando e fomos para a piscina. Meu pai e Diogo beberam cerveja enquanto eu bebia suco e conversávamos, ver o corpo peludo de Diogo estava me excitando e o volume de sua sunga me deixava louco me lembrando o que tinha la dentro. Para disfarçar pedi para que eles me acompanha-se em um jogo de bola na água, um ficaria no meio tentando pegar a bola que seria jogada pelos outros dois, meio infantil, mas toparam afinal estávamos la para nos divertir. Durante o jogo Diogo aproveitou para se encostas e esbarrar em mim, quando estava em sua vez de pegar, vinha de costas ate encostar seu bundão em mim ou virava de frente e esfregava seu peito peludo em meu rosto. Quando estava  jogando, ficava me enconchando esfregando seu pau em minha bunda. No principio meu pai não gostou muito ficava jogando indiretas e com a cara um pouco fechada, mas parece que a situação o excitou e ele começou a fazer o mesmo. A coisa ficou tão safada que achamos por bem parar um pouco e Diogo nos chamou para irmos ate a sauna. Arrumamos do jeito que pudemos nossos cacetes na sunga para tentarmos disfarçar  e fomos para sauna, mal entramos e Diogo já ficou totalmente nu, enquanto eu e meu pai continuamos com nossas sungas.
 
  _ Que isso gente pode ficar a vontade , ninguém costuma entrar na sauna aqui freqüento a anos este hotel, alem disso aqui e normal ficar pelado, é bem melhor. Disse Diogo a nos.
 
    Meu pai olhou para mim eu para meu pai, papai cocou o saco e resolveu, tirou sua sunga liberando seu mastro meia bomba, eu o acompanhei e tirei minha rola para fora trincando de dura.
 
  _ Hummm o garoto tem potencial. _ Disse Diogo olhando para minha rola.
 
Fiquei corado e deitei para aproveitar a sauna, meu pai sentou ao meu lado e disse:
 
_ Puxou ao Pai!
 
_ Estou vendo, já é um garotão e ficara mais gostoso ainda como o pai.
 
Deitei entre Diogo e papai, derrepente sinto alguém passar a mão em meu peito, era papai, com a esquerda acariciava meu peito e com a direita seu corpo. Fechei os olhos e fiquei curtindo a caricia quando sinto uma mão em minha perna abri os olhos e era Diogo que como meu pai alisava minha perna com uma mão e seu corpo com a outra. Senti os 2 se aproximarem de mim e avançar nas caricias ate sentir uma mão em meu pau e uma outra em meu saco, estava muito bom muito gostoso já estavam massageando meu corpo com as duas mãos os dois.
 
  De repente sinto um dedo tentando invadir meu cuzinho, arreganhei mais as pernas para facilitar, e uma boca havida em meu cacete, que delicia, enquanto papai apertava meus mamilos acariciava meu peito e axilas, Diogo me comia com os dedos e chupava meu caralho. Papai porem não resistiu muito tempo e me ofereceu sua rola para que eu a chupasse o que fiz de pronto, estava uma delicia salgadinha pelo suor, nossos corpos suando, o calor, meu corpo sendo tocado, não agüentei e inundei a boca de Diogo com minha porra. Agora Aquele peludo gostoso tirou meu pau de sua boca e desceu linguando meu cu aberto. Papai também gozou em minha boca e me beijou fazendo com que sua porra se misturasse em minha saliva.
 
  Diogo se posicionou e colocou sua rola na portinha do meu cu, forçou e entrou facilmente por causa do calor, suor, dedadas e linguadas já recebidas, delicioso era aquele macho me comendo com seu saco peludo batendo em minha bundinha fazendo meu pau endurecer, percebendo isso papai caiu de boca em meu cacete ficando na posição de  69 oferecendo seu bundão peludo que eu mordisquei, beijei e lambi bastante aquele cuzinho separando suas nádegas. Diogo aumentou o ritmo de suas estocadas e gozou em meu cu eu com meu pau duraço e prestes a gozar pedi para papai que me deixasse enraba-lo o que sem cerimônia aceitou ficando de quatro  cravei meu cacete em seu rabão gostoso enquanto papai agarrou Diogo em um boquete. Estava delicioso o bundão de papai quentinho e suadinho, bombei com tudo segurando em seu quadril, papai se deliciava com a pica de Diogo que alisava seu próprio peito peludo e apertava seu mamilo me chamando para um beijo  que acompanhou minha esporrada no cu de papai enquanto o mesmo engolia toda a porra de Diogo. Resolvemos sair da sauna, tomamos uma ducha e fomos relaxar na piscina. Ficamos os três so coma cabeça para fora d'agua o resto da tarde.
 
  A noite jantamos todos juntos nossa família e Diogo que nos contou que era divorciado e que tinha um rapaz de minha idade chamado Ítalo que morava com a mãe, no decorrer da conversa descobrimos que morávamos no mesmo bairro o que nos motivou a trocar endereço, email e telefones. Após o jantar cada um em seu quarto dormimos.
 
   No outro dia após o café da manha as mulheres novamente sumiram pelo clube, eu e meu pai fomos ao quarto de Diogo que nos recebeu já pelado. Deitamos e chupamos um ao outro, eu chupava meu pai que chupava Diogo, que me pagava um delicioso boquete. Diogo se deitou na cama na posição de 69 com papai enquanto eu dedava e lambia o cu de Diogo, após um tempo resolvemos mudar de posição onde Diogo sentou no cacete de papai enquanto me mamava e enfiava os dedos em minha bunda, quando fiquei bem aberto sentei em seu cacete duro enquanto cavalgava e Diogo cavalgava em papai.Que excitante sentir aquele peito peludo de Diogo roçando em meu peito e seu beijo intenso. Invertemos a posição, agora papai era comido por Diogo e eu cavalgava em papai sentindo seu peito suado de papai em minhas costas, o cheiro de macho no quarto me alucinava fazendo com que eu subisse e descesse feito um louco no caralho duro de papai. Gozamos e deitamos para um breve descaso.
 
  Após uma breve pausa voltamos a nos foder em todas as posições  ate a hora do almoço. Almoçamos todos juntos novamente e ficamos novamente a tarde toda na piscina e conversamos bastante, Diogo nos confessou que morria de tezão em seu filho e me perguntou se eu não queria sonda-lo para ver com descrição se ele não gostaria de se juntar as nossas brincadeiras excitadíssimo aceitei a missão. No fim da tarde nos despedimos e voltamos para nossas casas.
 
 Durante a semana seguinte Diogo me ligou para me chamar para uma partida de futebol de salão onde me apresentaria Ítalo, seu filho, o que aceitei. Nesta noite acordei todo esporrado devido ao sonho que tive com uma foda entre nos quatro mas isso é uma outra historia......
 
 
 
 
 
Gostou? Quer saber o que rolou entre nos? Comente diga oque esta achando de nossas aventuras, lembrando que este e o segundo conto. Uma chupada bem gostosa nesses cacetes duros e um tapinha nessas bundas gulosas.
 
Se quiserem terá continuação.
mrpr2@hotmail.com

Surubão Ítalo, Diogo Papai Mauricio e eu.

Autor: Mrpr2
 
Ola galera sou eu o Dinho, vou continuar minha historia e hoje vou contar como Ítalo entrou na brincadeira foi assim...
 
   Como marcado Diogo fui a sua casa para irmos a um jogo de futebol, eu ele e Ítalo seu filho. Chegando la bati a campanhia e quem me atendeu foi Diogo so com um short de jogador de futebol exibindo seu peito peludo, já fiquei assanhado mas me recompus, ele apenas me cumprimentou e me convidou a entrar e gritou Ítalo. Quando entrei Diogo me agarrou por traz a pos fechar a porta e me encochou gostoso me fazendo sentir seu peito quente e seu cacete duro em minha bunda, me deu um beijo em minha nuca e me largou. Ítalo desceu me cumprimentou nos apresentamos e fomos ao jogo.
 
  Ítalo jogava bem, apesar de parecer meio nervoso, estava fominha e pouco tocava a bola para os companheiros de time eu era do time contra, ele entrava duro, marcação homem a homem, fez algumas faltas e entradas bruscas. No final do jogo no vestiário da quadra pediu desculpas disse que tinha brigado com a namorada e estava nervoso. Achei que seria uma oportunidade e puxei assuntos variados o que me deu oportunidade de ver seu corpo nu  sem levantar suspeitas enquanto ele tomava banho. Colocou o short sem cueca e ficamos conversando os dois sem camisa. Quando percebi so estávamos nos dois no vestiário, resolvi atacar desviando o assunto para o sexo, foi ficando cada vez mais quente e Ítalo ficou excitado, comece a falar algumas coisas sobre sexo, homens, incesto e sempre tocando Ítalo que olhava as vezes para minha mão tocando seu corpo mas não falava nada, sorria discretamente. Comecei a elogia-lo sobre seu físico definido sobre seu peito já peludo, Ítalo me olhou fundo nos olhos me deu um sorriso eu perguntei o que foi e ele me disse nada, seu pai Diogo nos interrompeu chamando para irmos embora.
 
  Chegamos e Diego me chamou para um lanche Ítalo não parava de me olhar e estava com uma cara mais relachada  com um certo ar de safado.  Comemos e Ítalo me chamou para jogarmos vídeo game. Ítalo subiu e eu fiquei na cozinha com a desculpa de beber água e ir ao banheiro. Diogo assim que Ítalo saiu da cozinha me agarrou por traz, me encochou novamente colocou a mão dentro do meu short e pegou firme em meu pau e perguntou?
 
_ E ai gostou do meu garoto?
 
_ sim muito
 
_ acha que consegue?
 
_ Não sei, ele tem namorada...
 
_ eu era casado e pegava machos e percebi que ele não tira os olhos dessa bunda gostosa.
 
Falou isso pressionando seu cacete duro em minha bunda
 
_ vou me esforçar
 
_ vai la safado
 
Falou e deu um tapinha em minha bunda, subi e encontrei  Ítalo na porta do quarto.
 
_ Demorou, já estava indo te buscar.
 
_ já estou aqui vamos jogar?
 
 Entrei e Ítalo não me deu espaço, passei meio que esfregando em seu corpo, durante o jogo, gritávamos, xingávamos um ao outro, começamos a empurrar. Aquilo começou a ficar mais intenso, as coisas que falávamos mais obscenas, mais toques, chupaaa, pega aqui, seu viado, caralhoo,  tomaaaa, a vai tomar no seu cu. Tudo isso de brincadeira, mas percebi que Ítalo estava excitado e pegando muito em seu pau que já estava com um bom volume ate porque estava sem cueca estavamos so com os calções. Levantei disse que ia ao banheiro, na volta quando entrei tropecei no fio do vídeo game e Ítalo me pegou estremeci sentindo seus braços fortes, seu cheiro e aquele peito perto de mim, mas Ítalo não me soltou, agradeci e tentei me soltar, Ítalo me segurou mais forte.
 
_ há é quer brincar?
 
E começamos uma espécie de luta eu tentando sair e Ítalo me segurando, me virou de costas e começou a me tocar minha bunda com seu cacete duro e sussurrou em meu ouvido
 
_ Ta gostando do meu caralho no seu rabinho?
 
 Parei meio assustado, e disse
 
_ Que isso cara ta me estranhado, me larga?
 
_ To não viado safado, to te sacando desde o  vestiário, tu gosta e de rola no cu que eu sei e parece que andou liberando para meu pai.
 
Gelei
 
_ Ficou louco cara de onde tirou isso?
 
_ Eu vi o coroa te encochando na cozinha, liberou ou não pra ele? Não interessa to na seca a uma semana e ainda ontem aquela vadia brigou comigo e quem vai me aliviar vai ser você.
 
_ Não, para Ítalo!
 
   Fazia um pouco de doce, Ítalo me empurrou e cai de bunda para cima na cama e antes de sai da posição ele veio e grudou em mim abaixando o meu calção e já posicionando sua rola no meu buraco, colocou a cabecinha na entrada e empurrou enfiando lá dentro ate senti suas bolas. Segurou minha cintura e começou a meter com força. Delicia aquele jeito bruto, eu gemia e pedia mais, Ítalo senta na cama e me puxa me fazendo sentar em seu cacete, subo e desço sentindo cada pedacinho de sua rola comprida em meu rabo. De repente a porta do quarto se abre é Diogo que ouviu nossos gemidos e veio participar, Tirou seu pau da boca e me pos para chupar.
 
_ Isso coroa vamos comer esse viado safado!
 
Estava curtindo muito ser enrabado por Ítalo e chupar Diogo, Ítalo gozou em meu cu e Diogo em minha boca, Ítalo me puxou e me beijou na boca sentindo o gosto da porra de seu pai.
 
_ Esse é meu filho, vem cá vem filhão puto mama aqui seu velho, sente o sabor da minha porra direto da fonte.
 
    Ítalo pegou no cacete do pai e colocou na boca, enquanto eu beijava e lambia suas costas suadas, e fui descendo abri suas nádegas e enfiei minha língua bem no fundo do seu cu, Ítalo soltou um hurro e voltou a chupar o pai. Tirei e coloquei minha língua em seu cuzinho deixando bem babado, coloquei um dedo e comecei a brincar com seu buraquinho fazendo movimentos circulares e de vai e vem coloquei 2, 3, 4 dedos e me posicionei colocando minha rola na portinha do seu cu. Ítalo gritou
 
_ Não, no meu cuzinho não
 
Mas estava com um tezão louco que nem liguei e cravei tudo de uma so vez. Ítalo soltou um berro abafado por um beijo de seu pai.
 
_ Quem é o viado agora hem?
 
Dizendo isso comecei a mecher, metendo em um vai e vem ritmado. Ítalo foi relaxando e começou a rebolar
 
_ Fdp, mete no meu rabo caralho, arromba meu cu!
 
Não fiz cerimônia e aumentei a velocidade, cuzão gostoso peludo feito o do pai mas mais apertado. Inundei aquele rabo de porra deixando Ítalo alucinado e com mais tezão. Diogo vendo o cacete do filho tezo pegou deu uma chupada e ofereceu seu cu, Ítalo sentou e Diogo começou a cavalgar, quando meu pai chega e entra no quarto.
 
_ O que o senhor esta fazendo aqui?
 
Perguntei sem entender.
 
_ Diogo me ligou vim o mais rápido que pude.
 
Disse meu pai tirando a roupa e me puxando para um beijo
 
_ Vem para a festa Mauricio e você também Dinho.
 
Nos chamou Diogo
 
_ Que delicia filho comendo o pai
 
Disse meu pai aproximando de Diogo pegando seu pau e chupando, ofereci meu pau para diogo que começou a me mamar.
 
   Ítalo Gozou no cu do pai, Diogo quis comer meu pai que ficou na posição de frango assado, Ítalo deu seu caralho para meu pai o chupar enquanto me mamava.
 
    A putaria rolou ate tarde um comendo o outro se chupando em todas as posições. Eu e Diogo comemos nossos pais depois eu comi o pai de Ítalo e ele o meu, invertemos e Diogo e meu pai Mauricio, comeram Ítalo e eu e depois Meu pai me comeu e Diogo comeu seu filho. Teve um momento que foi espetacular eu e Ítalo fazíamos um 69 chupando um o pau do outro enquanto nossos respectivos pais nos comiam e se beijavam. Caímos na cama e descansamos um pouco suados, cheios de porra, exaustos, mas super felizes. A partir deste dia direto nos tranzavamos todos juntos ou não. Diogo ate hoje não se casou novamente, Ítalo esta noivo geralmente me come e depois vai correndo comer Gabriela, meu pai continua casado com minha mãe que nem desconfia e quase toda noite ele me come no meu quarto, de vez em quando arrumo uma namoradinha, mas gosto mesmo e da suruba que fazemos eu, meu pai, Diogo e Ítalo.
mrpr2@hotmail.com